Psicóloga responsável: Suely Laitano Nassif | CRP: 06/31790
11 5542-6615   |   contato@laitos.com.br

   Meu cadastro

Neuropsicologia

Atuamos desde 1997 avaliando pacientes para que possam obter diagnóstico diferencial, encaminhamento adequado, orientação cuidadosa e reabilitação efetiva.


  • Definição

    A neuropsicologia preocupa-se com a complexa organização cerebral e suas relações com o comportamento e a cognição, tanto em quadros de doença como no desenvolvimento normal, e é definida como a ciência aplicada que estuda a expressão comportamental das disfunções cerebrais. O neuropsicólogo tem por objetivo principal correlacionar as alterações observadas no comportamento do paciente com as possíveis áreas cerebrais envolvidas, realizando, essencialmente um trabalho de investigação clinica que utiliza testes e exercícios neuropsicológicos. (Malloy-Diniz, 2010)


  • AVALIAÇÃO NEUROPSICOLÓGICA

    É a investigação minuciosa das funções cognitivas sensoriais, motoras, emocionais e sociais, através de uma bateria de testes e procedimentos, com o intuito de se identificar algum comprometimento funcional neurológico, bem como as áreas preservadas.

    Pode ser realizada em crianças (em geral a partir de 5 anos), adolescentes, adultos e idosos.


  • Indicações

    A avaliação neuropsicológica é recomendada em qualquer caso onde exista suspeita de uma dificuldade cognitiva de origem neurológica ou comportamental identificando a presença de algum distúrbio, bem como o grau de sua evolução. São os casos das:

    • AVC - Acidente Vascular Cerebral ou “Derrame”
    • Déficits causados por abuso de drogas, álcool e outras substâncias
    • Demências e Diagnóstico diferencial entre Depressão e Demência
    • Dificuldades escolares
    • Distúrbios do desenvolvimento
    • Distúrbios psiquiátricos ou neuropsiquiátricos
    • EM - Esclerose múltipla e outras doenças neurodegenerativas
    • Epilepsia
    • TCE - Lesões cerebrais decorrentes de traumatismos
    • TDAH - Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade

  • Como funciona

    Primeiramente, é realizada uma entrevista de triagem, para obter informações sobre a saúde global do paciente, incluindo queixas emocionais, cognitivas e comportamentais, anamnese e história de vida. Na sequência é selecionada a bateria de testes neuropsicológicos mais adequada para o paciente e é iniciada a sua aplicação.

    Tempo de Duração: de 8 a 10 sessões de até 1 hora cada.

    Funções avaliadas: Memória, Atenção, Linguagem, Raciocínio, Conceituação, Percepção visual, Visuoconstrução, Orientação, Funções Executivas, Humor...

    Os resultados qualitativos e quantitativos da testagem indicarão as funções preservadas e deficientes.

    • Identifica os prejuízos e as habilidades cognitivas preservadas nos pacientes
    • Auxílio no diagnóstico diferencial de doenças neurológicas e psiquiátricas
    • Orientação quanto à eficácia do tratamento farmacológico
    • Elaboração, nos casos indicados, de um programa de reabilitação e estimulação cognitiva

    Por último é elaborado um relatório ou Laudo Neuropsicológico, onde são relatados os principais resultados da avaliação.


  • Veja também


AVALIAÇÃO

Investigação das funções cognitivas para traçar um perfil neuropsicológico dos comprometimentos funcionais e áreas preservadas

REABILITAÇÃO

Intervenção que visa tratar ou amenizar as sequelas de danos cerebrais potencializando mecanismos alternativos e habilidades preservadas

  • REABILITAÇÃO NEUROPSICOLÓGICA

    A reabilitação neuropsicológica caracteriza-se por um conjunto de práticas em que o profissional de saúde atua junto com o paciente pretendendo reduzir os efeitos de déficits cognitivos e alterações de comportamento emocionais decorrentes de lesões causadas por acidentes ou decorrentes do processo de envelhecimento e infecções, que se constituem como obstáculos ao desempenho adequado em tarefas do cotidiano.

    Este tipo de tratamento busca melhorar o aproveitamento das funções total ou parcialmente preservadas por meio do ensino de estratégias compensatórias, aquisição de novas habilidades e a adaptação às perdas permanentes, melhorando a qualidade de vida dos pacientes e familiares.

    Abordagem teórica neurológica

    Utilizamos a abordagem compensatória, adaptativa e de reaprendizagem para tratar ou amenizar as sequelas do dano cerebral descritas como “deficiências”, “inabilidades” ou “desvantagens” conforme proposto pela Organização Mundial da Saúde (OMS), com o objetivo de minimizar o esforço do paciente diante do prejuízo cognitivo ocasionado pelos sistemas neuronais lesionados. Quando a função não pode ser restaurada, é utilizada a potencialização de diferentes mecanismos alternativos e/ou de habilidades preservadas.


  • Como é feita e quem precisa fazer

    O procedimento de reabilitação é composto de exercícios específicos, determinados pelo profissional para o desenvolvimento das habilidades preservadas do paciente e para a compensação dos prejuízos cognitivos ou motores, recuperando sua capacidade de autonomia e independência.

    Tempo de Duração: de 6 a 8 meses com a realização de nova avaliação neuropsicológica para reavaliação do quadro.

    É necessária sempre que um indivíduo apresenta déficits no funcionamento de alguma função cognitiva (atenção, memória, linguagem, percepção, funções executivas), identificados através da avaliação neuropsicológica.


  • Recuperação

    O sucesso da reabilitação depende da adesão do paciente através da compreensão do seu potencial de recuperação, motivação para o tratamento e apoio dos familiares.

    A recuperação é realizada dentro do nível máximo de potencial que o paciente apresenta.